quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Retomando a viagem





Retomando a viagem, após o doce intervalo feito de Bolo de Banana com nozes e canela, continuámos para  GÉNOVA
onde não faltam motivos para ficar.

É uma cidade que para além de todos os atrativos oferece o caos absoluto em termos de tráfego.
Recomendo vivamente que se abstenham de conduzir nesta terra (de doidos). É que tudo muda sem que a cartografia transmitida ao GPS, mude. Ele, o GPS, senhor de informações ultrapassadas, enlouquece o mais calmo dos condutores.

Uma vez que o Hotel Mercure se situava nos arredores da cidade, havia que usar o automóvel para chegar ao centro, onde, só queríamos um parque de estacionamento.
Depois de muitas voltas, lá descobrimos o bendito do parque e passámos a circular a pé.

Deve ser esse o motivo porque tantas, mas tantas lambretas enchem as ruas. É tipicamente italiano e remete-nos para um daqueles filmes de Fellini onde tudo acontece montando a dita lambreta.


Nas ruas, multidões e muito calor ...



Esta a artéria comercial mais importante, toda ela ladeada por galerias onde se instalam as lojas mais carismáticas.


Nada interessada em compras, rumámos à zona do porto, muito frequentada por turistas.
Aqui existe um imenso parque de estacionamento subterrâneo, pelo que o problemão da condução está resolvido.
Estaciona-se calmamente e passeia-se ao longo da marina.





Esta caravela quinhentista  aqui ancorada desde sempre, dá um toque de aventura ao local e pode facilmente imaginar-se o movimento de piratas e corsários terríveis que por aqui terão forçosamente circulado.
É um local muito agradável, fresco, com imensos restaurantes, gelatarias e bares onde nos é permitido retemperar as energias.






Foi exatamente o que fizemos no Ristorante da Vitorio, que não sendo por aí além, forneceu um jantar aceitável.


Jantar comido, havia que circular, admirar belíssimos edifícios, muito bem conservados  ...



Como este, com uma fachada rica em pinturas murais 

Continuando junto à agua, mais motivos surpreendentes ...



Estrutras modernas que ao cair da noite, conferem um certo irrealismo ao local ...














Génova não era novidade - já lá estive várias vezes e, tendo em consideração o aviso sobre a qualidade do tráfego, é, sem dúvida, uma maravilhosa cidade com muito para descobrir.



Na manhã seguinte, seguimos a linha da costa até SANTA MARGHERITA LIGURE, uma encantadora cidadezinha veraneante;




Adicionar legenda

















As cores quentes, as ruas estreitas, os pavimentos decorados, a vida, a agitação, a alegria conferem-lhe créditos para uma visita.


Por ser essencialmente turística, a vida é muito cara, muito mais cara do que em Génova, mas, ainda assim, merece uma visita - porque ninguém vai para férias para fazer economia, pois não?
Para isso fica-se em casa!








A cidade cresce à volta da marina e estende-se em ruazinhas paralelas para o interior, exclusivamente peatonal.


Sobe ainda a encosta de uma colina onde, presumo, se situam as habitações mais caras e luxuosas.

Daqui, a escolha do itinerário desdobra-se - PORTOFINO e CINQUE TERRE

Já visitei demoradamente os dois destinos sendo ambos imperdíveis.

Portofino é outro mundo!
Exorbitantemente caro, ostentando iates que nem em sonhos sabia que existiam!
Cinque Terre é uma sucessão de cinco aldeias assombrosas, debruçadas sobre o mar.

Repito, são destinos imperdíveis, dos tais que quem puder deve visitar uma vez na vida.

Por hoje, ficamos por aqui.
Amanhã há mais.

Beijo
Nina

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Parêntesis ...




Façamos um parêntesis na narrativa da viagem, para não cansar!

E, para preencher a pausa, mostro um bolinho acabado de sair do forno, cuja receita veio



É um bolo de banana, preparado a partir das bananas que deixei congeladas antes de partir para férias. O sistema resulta perfeitamente. Garanto.
Desta vez congelei-as sem casaca e cortadas longitudinalmente. Foi só retirá-las do frio, deixar que descongelassem, escorrer o líquido que soltam e utilizá-las como se fossem frescas.
Uma maravilha !

Apetecia-me imenso fazer um bolo.
Não porque me apetecesse, por aí além, comê-lo. Não! O que eu queria mesmo era o cheirinho do bolo assando, perfumando toda a casa.
E como cheira bem!
Cheira a casa!
Uma mistura de cheiros muito particular.

Aliás, nos bolos, gosto principalmente de três aspectos:

- Do perfume com que enchem a casa;
- Do aspecto lindo, do bolo, coberto com campânula de vidro, na mesa da cozinha;
-E da primeira fatia;

Depois desinteresso-me - decididamente, não sou "doceira"



Este, porém, de tão bom, tão fofo, tão suculento, merecerá talvez que eu repita excepcionalmente a dose ...


INGREDIENTES

10 fatia/s
Massa
  • 3 bananas, muito maduras
  • 3 Ovos - M
  • 3 c. sopa leite
  • 75 g margarina
  • 175 g açúcar amarelo, ou açúcar branco
  • 200 g farinha, com fermento
  • 1 c. chá canela
  • 50 g miolo de noz, ou amêndoa laminada
  • 1 pitada de sal
  • margarina para untar
  • Esta receita recorre à Bimby, mas poderá, calmamente, ser confeccionada pelo método tradicional .



ETAPA DE PREPARAÇÃO

  1. Pré-aqueça o forno a 180º.
    No Closed lid coloque as bananas e programe 5seg/vel3.
    Adicione os ovos, o leite, a marina derretida, o açúcar e programe 30seg/vel3.
    Adicione a farinha, a canela e a pitada de sal e programe 30seg/vel3.
    Acrescente metade do miolo de noz e programe 15seg/vel2.
    Deite a massa numa forma untada tipo bolo inglês e espalhe as restantes nozes por cima da massa.
    Leve ao forno pré-aquecido cerca de 50min



Cheira a canela e sabe a banana ...

E, como se tal fosse pouco, oferece ainda a crocância inesperada de pedaços de nozes!


A sério!
Vale mesmo a pena pecar!
É simplesmente maravilhoso.

Beijo
Nina

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Milão




Saindo de Cremona, calculadas as distâncias  - cerca  de 100 Km -  decidimos dormir em Milão.

Tenho uma apreciação  bem definida sobre esta cidade que já visitei várias  vezes -  é  monumental em termos arquitectónicos, com uma catedral  - Duomo - impressionante na sua imponência.

O trânsito  automóvel  é  absolutamente caótico  pelo que se torna altamente desaconselhável  circular nas suas ruas, também  elas apinhadas de pessoas.
Não  é,  definitivamente, uma cidade onde me apeteça  voltar, embora nos seus arredores, a zona dos lagos seja de uma beleza estonteante - e aí, sim! Apetece repetir a visita uma e muitas vezes.
Posto isto, para pernoitar,  escolhemos um Ibis Styles, nas imediações  da cidade.
Infelizmente, o hotel encontrava-se em obras de remodelação,  ambiente que perturba os meus pobres  neurónios  ... pelo que, desaconselho.

Na manhã  do dia seguinte,  rumámos  a  Génova,  porque, incorrigível,  fiz absoluta questão  de visitar  um outlet que se encontra no caminho.
Trata-se do SERRAVALLE DESIGNER OUTLET, que pode ser visto AQUI!
Aconselho vivamente a que retenham este nome e, se passarem perto, não percam este  um espaço incrível,  quase um aldeamento, servido por gigantesco parque de estacionamento.
É tão popular entre os italianos que, durante o fim de semana,  a autoestrada entope, com gigantesco engarrafamento, de quem pretende entrar.

Pedi ao (santo do) marido 1 hora, 1 mísera  horinha, para , como um foguete, esvoaçar  por entre as lojas.
Cedo conclui que pedira pouco, pedira quase nada. Deveria ter exigido 1 dia! Mas quê?
Sou assim! Tímida e contida! Custa-me impor fretes!

Mas valeu!
Valeu muito, muito, muito a pena.

As ofertas são  incríveis  e os preços  inacreditáveis.

Comprei duas malas, uma Karl Lagerfeld e outra Versace.





















Esta, com o pormenor  da aba em tecido, é Lagerfeld.

E esta, em azul petróleo é Versace.










Ambas fabulosas!

E ainda fiz um amigo....
O Maurício  na loja do Lagerfeld.

Enquanto eu, de olhos esbugalhados, olhava, suspirava e queria tudo, o Maurício  aproximou-se para ajudar, apresentando-se.
Quando ouvi o nome, nada italiano, estranhei ... Maurício? - questionei, desconfiada. Brasileiro?- interroguei, animada para iniciar ali mesmo uma nova e linda amizade.
- Não!  Sou do Equador, mas vivo há  20 anos em Itália!
Conversámos  em espanhol, ou melhor, em  portunhol e  entendemo-nos à  maravilha.
Que rapaz bonito!
E que bom gosto!
Sabia tudo de moda e  de tendências.
Uma enciclopédia!


Feitas as comprinhas, segui com alma nova para o caos de Génova  onde dormimos num Novotel de muita qualidade, nos arredores da cidade.

Amanhã continuámos pela costa da Ligúria.
Ciao!

Beijo
Nina

domingo, 17 de setembro de 2017

Road Trip, planificações, alterações, imprevistos


Com  mais de 1 mês de antecedência, delineei , o trajecto que, durante duas semanas, faríamos pelas estradas europeias.
Com a ajuda do google maps, a tarefa fica muito facilitada - é só introduzir o ponto de partida e o ponto mais longínquo a alcançar e assim se determina o percurso.
Depois, é fazer os ajustamentos que se quiser, cumprindo ou não o itinerário sugerido.
As etepas são igualmente determinadas segundo o que parece ser menos cansativo , oferecendo ao mesmo tempo , motivos de interesse.
É claro que esta modalidade exige tempo, não sendo possível fazer, por exemplo, uma viagem de 2000 Km numa semana. Isso limitaria as férias ao estado de "motorista".

Portanto, precisamos de tempo.

Delineadas as etapas, gosto de reservar antecipadamente os hotéis, tendo o cuidado de apenas escolher os que permitem o cancelamento da reserva até ao próprio dia da chegada.
Com essa facilidade, conheço a cadeia Accord, com vários níveis (e vários preços ...) de comodidade.
Escolho sempre que possível o IBIS, um hotel confortável, com pequeno almoço e garagem para estacionar. Dentro desta marca existem vários níveis, que variam ligeiramente no preço. O IBIS normal ou o Styles são francamente satisfatórios e encontram-se espalhados por essa Europa fora.


Posto isto, podemos partir.

Decidíramos viajar até Berchtesgaden, no sul da Alemanha,  muito perto de Salzburgo, porque é uma zona lindíssima - provavelmente a mais bonita de toda a Alemanha.

Porém ...

Atravessada a Suiça, entrando na Alemanha por Konstanz, junto ao lago com o mesmo nome, constatámos que o clima nos sabotara.
É que chovia imenso, sendo que as previsões para a  semana seguinte eram de dilúvio.
Impossível, pois continuar para norte!
Cancelados os hotéis, refizemos a rota, rumo a Itália, onde o sol brilhava e assim chegámos a Cremona!



























CREMONA é uma cidade lindíssima, que merece uma visita prolongada, repleta de tesouros, comida maravilhosa, gelados de comer rezando e, claro, muitas comprinhas.
Ficámos 2 dias e partímos com muita vontade de voltar.

Depois, foi marcar um novo hotel e continuar para sul, rumo a Milão.

Seguem -se mais informações!
Voltem!
Voltem se querem novidades e imprescindíveis dicas,

Bom fim de domingo.

Beijo
Nina